sexta-feira, dezembro 08, 2006
Ameaças para não levar a sério
Como se pode ler no post anterior, o secretário da Habitação e Equipamentos decidiu lançar um ultimato à PT e garantiu que o governo tem alternativas aos serviços prestados pelo grupo - empresas americanas podem "substituir" a PT, disse à Antena 1/Açores. Esta ameaça não passa de uma brincadeira para açoriano ver. Só existirão alternativas quando as redes de cobre e cabo deixarem de estar nas mãos do mesmo grupo. Até lá nunca haverá concorrência. Empresas americanas? Quais? Talvez alguma que forneça acesso à Internet via satélite, que ninguém estará disposto a pagar, devido ao elevado custo do serviço (equipamento e mensalidades). O recurso à tecnologia Powerline também parece estar fora de questão. Um teste-piloto, a efectuar pela Oni e EDA, estava previsto para uma urbanização em Ponta Delgada. No entanto, a Oni já descontinuou o serviço que tinha no continente. As afirmações do secretário são ainda mais desprovidas de sentido se tivermos em conta que surgem apenas oito meses após a assinatura de um contrato entre o governo regional e o consórcio PT Comunicações/PT Prime, no valor de 6,3 milhões de euros.
Conclusão: tudo não passou de uma tirada "politiqueira".
 
Postado por Rui Lucas em 12/08/2006 |


13 Comments:


  • 08 dezembro, 2006 21:56, Blogger jocaferro

    Estava a ver que era o único que desconfiava deste "pontapé".
    Nunca imaginei ver um José Contente tipo Mariano Gago...
    Também acho que não passa de uma tirada politiqueira principalmente no momento em não há qualquer obstáculo à realização da OPA.
    Quanto às empresas americanas, deve ser gozo. O º de Abril ainda está longe e o Happy Joe já anda a treinar.

     
  • 08 dezembro, 2006 21:57, Blogger jocaferro

    1º não º.

     
  • 09 dezembro, 2006 15:11, Anonymous Anónimo

    O sr. Lucas já começa a tentar mostrar "serviço" de adjunto do PSD...
    Que pena as pessoas se venderem por um mísero prato de lentilhas...

     
  • 09 dezembro, 2006 15:23, Blogger Rui Lucas

    Caro leitor energúmeno e cobarde, até parece que ao longo dos últimos anos nunca critiquei o governo...

     
  • 10 dezembro, 2006 00:48, Anonymous Anónimo

    O sr. Lucas recorre ao insulto fácil quanto se sente acossado ou alguém lhe tira a carapuça, preferindo figur com o rabinho à seringa do que assumir a condição reles de assalariado "laranja", pronto a tudo fazer e criticar, desde que isso agrade ao seu novo dono.
    Será que o sr. Lucas ainda tem a coragem de se assumir como jornalista?...
    Tão baixo se desçe quando não se tem coluna vertebral...

     
  • 10 dezembro, 2006 01:23, Blogger Rui Lucas

    Ouvir um cobarde falar em "coluna vertebral" e sentir-se ofendido é espantoso. Assuma-se, seja homenzinho. Mas não é capaz, pois não?

     
  • 10 dezembro, 2006 05:52, Blogger Jose Manuel Leal

    Meus amigos, alguém acredita que este Governo tem interesse em "desafiar" ou "advertir" a PT? Deve ser da época natalicia e resultado da crença no velhinho de barbas... Quanto aos americanos... deve ser alguma empresa do Dick Chaney. Daqui a uns tempos veremos.

     
  • 11 dezembro, 2006 10:28, Blogger luis cabral

    O sr. Lucas não tem dignidade moral para ofender quem quer que seja pois, para isso, precisava de não corar de vergonha e de nojo sempre que se olha ao espelho.
    O que o sr. Lucas devia explicar era porque é que se vendeu, como uma reles prostituta, aos "laranjas" desta terra que, diga-se de passagem, o sr. Lucas nem sequer conhece...
    E devia também explicar como concilia o facto de ser "jornalista" com as tarefas de escravo que agora desempenha, curvando a espinha e lambendo as botas aos Gomes, Costa Neves, Clélios, Pedro Costas & companhia.
    Tenha vergonha sr. Lucas, se sequer conhece o significado dessa palavra...

     
  • 11 dezembro, 2006 18:06, Anonymous Anónimo

    Desde quando é que um bom jornalista deixa de o ser pelo facto de aceitar um trabalho duma instituição cívica ?
    Não acredito que o Rui Lucas se venda.
    O Rui Lucas está é de parabéns, por uma instituição como o PPD - em regra bastante exigente, vidé a qualidade dos deputados na AR - se ter lembrado dele.

     
  • 11 dezembro, 2006 18:20, Anonymous Anónimo

    ruizinho, paraquedista, só tem uma desculpa: como está sem um chavo vale qualquer coisa para ganhar a vida. Há quem se dedique à prostituição. Há quem diga que é mais honesto. São opiniões! ruizinho então agora é todo pêpêdê, moço de recados do neves, clélios e quejandos...hoje, o rapaz até fedende o que negava ontem como "jornalista", enfim...ao que a fome obriga!!!

     
  • 12 dezembro, 2006 20:52, Anonymous Anónimo

    Sempre gostava de saber se os insultos aqui proferidos ao Rui Lucas se podem também aplicar àqueles que agora trabalham como assessores de imprensa no governo regional?

    Santa paciência, nunca vi uma coisa assim contra qualquer um dos outros!

    Caro Lucas, começa agora a ver, melhor, a sentir o que custa ser oposição nos Açores.

    Jardelina

     
  • 13 dezembro, 2006 10:12, Blogger luis cabral

    Ser oposição nos Açores é incomparavelmente mais fácil agora do que no reinado de Mota Amaral e seus seguidores.
    Agora já ninguém é perseguido ou fica sem emprego por ser da oposição, coisa de que o PSD não se pode gabar...
    O sr. Lucas não é oposição. O sr. Lucas é um reles oportunista que se vende a qum paga mais, sem qualquer escrúpulo ou ética pessoal ou profissional.
    O sr. Lucas trocou o pingo de dgnidade que poderia ter pela manjedoura do Grupo Parlamentar, pondo para trás tudo o que terá aprendido como jornalista e, para ser simpático aos seus novos donos, insere posts vergonhosos, que revelam bem o carácter da criatura.
    O sr. Lucas não passa de um ignorante encartado, desconhecedor do que se passa nos Açores, que beija a mão a quem lhe acena com uns míseros euros.
    Tenhja vergonha na cara, sr. Lucas, e reduza-se à sua real insignificância!

     
  • 15 dezembro, 2006 16:04, Anonymous Anónimo

    Este sr. está deveras incomodado com o PSD ter assessores e o Rui ser um deles, tenha juizo, hoje não se preseguem pessoas?, pois não veja o que é dito de surdina sobre pessoal em carreiras do estado e respectiva não progressão, saiba as milhentas vinganças em todo o tipo de dificuldades que se arranjam a quem é critico, ou no critério de atribuição de subsidios e facilmente vai concluir que os "meninos" de hoje eram professores no tempo do Mota.