quinta-feira, novembro 30, 2006
ecos do silêncio?
agora que as reuniões da assembleia municipal de lisboa já chegaram às televisões, sonho com o dia em que as de ponta delgada cheguem, pelo menos, aos jornais de ponta delgada. caramba, o edifício da autarquia não fica assim tão longe...
 
Postado por nuno mendes em 11/30/2006 |


22 Comments:


  • 30 novembro, 2006 11:42, Blogger João Nuno

    ...longe vão os tempos da cobertura mediática do Jornal dos Açores e até da reprodução literal dos grandiloquentes apartes transformados em título de notícia. Ah que saudades eu tenho do malogrado Jornal dos Açores.

     
  • 30 novembro, 2006 16:50, Blogger Andre Bradford

    O mais grave deste silêncio é que os órgãos de comunicação social até vão lá, até assistem às reuniões, pelo menos em parte, e depois ou não publicam nada, ou publicam o press release da Câmara.
    Ainda ontem a RTP/A esteve lá, entrevistou, em gabinete privado a Dra. Berta, e depois foi-se embora sem dar qualquer cavaco à oposição. Voilá.

     
  • 30 novembro, 2006 16:55, Blogger João Nuno

    ...faltará ao camarada Bradford um interlocutor privilegiado???

     
  • 30 novembro, 2006 18:09, Blogger Pedro

    o que é mesmo grave e que aqui já foi referido é que os "jornalistas" abdicam de fazer o seu trabalho e em lugar de fazerem jornalismo e reportarem os acontecimentos e os debates que decorrem na Assembleia Municipal limitam-se a engolir os comunicados da Câmara Municipal como se esses fossem a única verdade tal como na maior parte das vezes o fazem com os comunicados do GACS, no fundo em Ponta Delgada não há jornalismo.

    este comentário não é anónimo, sou mesmo eu
    Pedro de Mendoza y Arruda Oliveira Rodrigues
    Vogal da Assembleia Municipal eleito nas listas do PS

     
  • 30 novembro, 2006 18:33, Anonymous joseaugustosoares

    Às vezes, para ver "desgraças"...é melhor não ver...
    Estou a brincar...

     
  • 30 novembro, 2006 18:36, Anonymous José Afonso Quilhões

    Toma lá Nuno Mendes que é para aprenderes.

     
  • 30 novembro, 2006 19:01, Blogger Andre Bradford

    Recebi uma mensagem de um camarada de bancada que obriga a uma correcção: a RTP/A contactou hoje o grupo municipal do PS de Ponta Delgada, no sentido de colher declarações do mesmo sobre a reunião de ontem. Fica feito o reparo.

     
  • 30 novembro, 2006 20:22, Blogger Pedro

    Meu Caro André

    não viste a reportagem que acabou de passar, pois não?!

    ...

    um abraço (e enjoy your day)

    :)

     
  • 30 novembro, 2006 22:25, Anonymous Anónimo

    Não percebo a necessidade do sr. Arruda de, permanentemente, aludir ao GaCS para condenar a utilização, por parte dos jornalistas, do serviço de comunicação (????) Câmara de Ponta Delgada.

    Afinal o seu problema é com a CM de Ponta Delgada ou com o GaCS?

    Para si o que é o GaCS? Uma PIDE?
    Começa a ser difícil ter paciência para aturar as suas inconstâncias...

    Francamente....

    JSFerreira

     
  • 30 novembro, 2006 23:27, Blogger Rui Goulart

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

     
  • 30 novembro, 2006 23:29, Blogger Rui Goulart

    Caro Pedro

    Como jornalista, sócio deste Blog e por consideração resolvi responder-te. :)

    Penso que tratar os jornalistas dessa forma, como um todo, é errado. Nem todos optam por tratar a informação como um mero papagaio do GAGs ou da Câmara. Isso é como dizer que toda a classe política não faz nada ou é ignorante!!! Claro que não! Há bons e maus políticos, boa e má oposição etc.

    O jornalismo açoriano tem grandes constrangimentos que ultrapassam o simples lado profissional. É preciso conhecer o lado de cá. É obvio que existe também má vontade e algum défice de conhecimentos . Mas tudo é relativo e deve ser devidamente enquadrado.

    Como jornalista, tento sempre ouvir as duas partes e raramente uso os órgãos oficiais de comunicação como a única parte do meu trabalho. Se ouviu a RDP, quarta feira, terá verificado que, no meu trabalho sobre o IMI em PDL, utilizei factos, números, promessas feitas há um ano e uma explicação para quem nos ouve sobre as regras do IMI. O jornalista tem também essa missão de formar o seu público. Depois não fui eu que dei cobertura á Assembleia.

    Bem ou mal preocupo-me em não ficar apenas com os dados oficias, embora eles, por vezes, sejam relevantes. Todavia, a velocidade da informação não permite, por vezes, ao jornalista aprofundar, como devia, os factos, infelizmente.
    Nesta matéria, reconheço que o Governo tem uma máquina bem montada. Tem mérito. É sinal que acompanha o evoluir das necessidades da sociedade, está a fazer o seu papel. O mesmo acontece com a autarquia de Ponta Delgada.

    Reconheço, no entanto, alguma pertinência nas tuas criticas, mas nunca em termos tão globais. Não há regra sem excepção.

    Abraço.

     
  • 01 dezembro, 2006 00:49, Blogger H. Blayer

    Esta posta, bem como os comentários a que deu origem, mereciam uma discussão séria e sincera do jornalismo açoriano. Dava "pano pra mangas". E o GACS também. E a máquina publicitária da CMPDL. And so on, and so on...

     
  • 01 dezembro, 2006 09:29, Anonymous José Afonso Quilhões

    Quando vi aqui a posta do senhor da Bayer pensava que vinha corrigir o senhor Rui Goulart.

     
  • 01 dezembro, 2006 13:11, Blogger Pedro

    Meu Caro Rui
    logo por azar a tua peça deve ter sido das poucas que eu não consegui ouvir. É óbvio qu existem excepções para confirmar as regras, mas o que eu aqui critequem e mantenho é que em enhum orgão de comunicação social a que eu tivesse acesso vi reportado a posição da Câmara e da oposição em simultâneo, nem sequer falo de fazerem um gráfico a esplicar as contas aos leitores, nem de darem a notícia sem ser exactamente aquilo que os comunicados da Câmara lhes mete na boca, nem falo nisso, só peço que sejam jornalistas, investiguem, noticiem, pelas suas cabeças, informem os leitores, em vez de constantemente repetirem o que lhes dizem. Esta trapalhada do IMI é um caso paradigmático disso.

    P.S. por favor não me trates por você: "ouvio" "terá"...
    ;)

    um abraço amigo

     
  • 01 dezembro, 2006 13:14, Blogger Pedro

    Caro João Soares Ferreira, se é que é de facto o próprio

    deve ser mania da perseguição e falta de capacidade de leitura. primeiro a mim nunca me viu falar permanentemente do GACS segundo se eu fiz alguma crítica foi aos jornalistas e não ao seu serviço...

    com os melhores cumprimentos

     
  • 01 dezembro, 2006 14:06, Blogger jocaferro

    O carisma de Berta Cabral ofusca a visão isenta dos jornalistas.
    Mas quanto ao pseudo-inventado-prémio sabem falar.
    Ao que isto chegou!

     
  • 03 dezembro, 2006 10:42, Anonymous Anónimo

    Não percebo o que justifica esta indignação toda.
    A posição dos OCS sobre o que se passa na AM da Câmara só demonstra o poder e o nível de influência da Carmo Rodeia e da Luísa Silva. Isto é que é profissionalimo.
    A oposição tem algum Gabinete de Imprensa ?
    Se não tem porque fala !?

     
  • 04 dezembro, 2006 15:24, Anonymous Anónimo

    Concordo com as criticas que têm sido feitas ao nosso jornalismo, em geral, o que não faz com que se reconheça o bom trabalho de alguns, percebendo a limitação de meios e de liberdade, que lhes são impostas pelas empresas que lhes pagam o ordenado.

    Mas não percebo, porque razão esta polémica vem agora ao de cima, por causa de uma putativa falta de cobertura de uma assembleia municipal, quando, há bem pouco tempo, foram relatados na assembleia regional, casos escandalosos de atribuição de subsidios pela Segurança Social e os orgãos de comunicação social nada ou quase nada disseram sobre o assunto.

    E porque razão não vieram os indignados pedro arruda e andre bradford exigir uma investigação jornalistica (já nem lhes falo da judicial), a sério, para cabal esclarecimentos "dos eleitores" e do destino que é dado aos nossos impostos! Ou acham que este assunto não é merecedor da vossa, e da nossa, atenção???

    O que tira a razão a estes dois indignados, é a falta de coerencia, a existência de dois pesos e duas medidas, consoante se trate do ps ou de outro partido, o que retira qualquer credibilidade ao que escrevem...

     
  • 04 dezembro, 2006 22:52, Anonymous Anónimo

    Meus caros amigos,

    OCS à parte, as Assembleias Municipais aqui em Lisboa ou aí em Ponta Delgada têm que ser o mais transparente quanto o possível.

    Não entendo o sr. André Bradford, jornalista de profissão, tecer estes comentários aos seus colegas da RTP/A!

    Se a Assembleia Municipal achar que deve ter honras de transmissão televisiva, a seu tempo procederá ao efeito.

    Mas isto são fait-divers. O que importa é que nem A. Bradford nem Pedro Arruda conseguem fazer oposição sem usar de artimanhas. Falem do que realmente é importante! Discutam o que Ponta Delgada precisa! Deixem-se de mesquenhices...

    Lanço um repto à Drª Berta: deite algum trabalho em cima destes dois senhores para termos a noção do trabalho que não fazem para uma vez por todas se perceber que criticar é fácil e trabalhar é mesmo dignificante.

    Vão trabalhar! Ajudem Ponta Delgada a crescer mais! Sempre mais! Nada está bom quando poderia estar melhor!!!

    J. Afonso Quintella

     
  • 05 dezembro, 2006 10:23, Anonymous Anónimo

    Assim é que é falar senhor Quintela.
    A oposição não sabe o que é hoje notícia.
    Experimentem dar um peido ou um arroto enquanto a D. Berta fala e verão que isso virá impresso no dia seguinte em lugar de destaque.
    Já agora porque não uns vómitos para cima dos paquidermes que só sabem abanar a cabeça e dar guinchos quando a chefe fala. Verão que terão até primeiros planos de toda a merda. Isso é que é notícia.

     
  • 06 dezembro, 2006 16:47, Blogger josesousa7

    Sra Presidente, contrate uns 730 assessores de imprensa como faz o Governo Regional, faça muito blá-blá e deixe os assuntos de Ponta Delgada da mão e assim vai satisfazer uns quantos meninos que, a soldo de alguém, comentam nestes blogs. Sinceramente, esta maneira de mal-dizer de alguns até parece que são socialistas. O problema é que se esquecem que Berta Cabral ganha popularidade até nas hostes de esquerda. Porque será? Talvez porque em vez de andar em blogs a mandar vir anda no terreno a trabalhar pelo Povo (ops...)

     
  • 07 dezembro, 2006 10:23, Anonymous Anónimo

    Que a Berta ganhe popularidade nas hostes de esquerda, tudo bem.
    O que me preocupa é a popularidade que possa ganhar nas hostes social-democratas.