terça-feira, outubro 17, 2006
Importa-se de repetir...
Aluno entrevistado na Antena-1 Lisboa.

Jornalista: Sabes por que motivo não tens aulas hoje?
Aluno: É por causa da greve!
Jornalista: sabes os motivos da greve?
Aluno: Não, mas perguntei ontem ao professor e ele respondeu:: “Metam-se na sua vida, isso não é da vossa conta”.

Será mesmo assim?
 
Postado por Rui Goulart em 10/17/2006 |


8 Comments:


  • 17 outubro, 2006 18:45, Anonymous F. Castanheira

    Impressiona-me esta inveja mesquinha do povo português, quando determinada classe profissional luta pelos seus interesses. Lamentavelmente, há algumas que não o podem fazer por exemplo eu pertenço a uma delas. Eu é que escolhi a minha profissão, se quizesse outra trabalhava para isso.

     
  • 17 outubro, 2006 21:12, Anonymous Anónimo

    O problema é que os professores querem continuar a ter os privilégios que, durante séculos, tiveram. Mas eles são uma classe igual ás outras. A ministra está a colocar em practica o que se adivinha para a admnistração pública toda! os professores não são melhores do que a restante FP. Fazem mais barulho, porque são organizados e porque a C.Social dá voz.
    Este post é um exemplo de que os professores estão se a lixar para os alunos.

     
  • 17 outubro, 2006 23:48, Anonymous Anónimo

    Tanta asneira junta: essa gente, que destila veneno, compara os professores com quê? Com um escriturário, com o jardineiro, com toda a FP, como se tivessem todos a mesma formação! Isto é de doidos! Esquecem-se que os professores, na sua esmagadora maioria, são licenciados tal como um advogado ou um engenheiro!
    Este país não existe, não pode existir!
    Tou menente

     
  • 17 outubro, 2006 23:48, Anonymous Anónimo

    Só a ignorância pode permitir desconsiderar aqueles que podem ensinar os filhos de cada um a tornarem-se melhores cidadãos,sobretudo quando hoje a maioria dos pais,por falta de tempo ou por negligência não "tem tempo " para os filhos. Sendo a educação a base de uma pirâmide societária os que inconscientemente julgam estar a destruir uma classe profissional estão a contribuir para o ruir dessa mesma sociedade. Depois pedem repressão para tentarem resolver(mal) a chamada falta de segurança. Vão nesta direcção para verem que em pouco tempo impera a "lei da bala"....

     
  • 18 outubro, 2006 10:46, Anonymous Anónimo

    Os professores querem é mamar!
    Três meses de férias por ano...
    22 horas de trabalho por semana...
    Artigos e mais artigos pra poderem faltar quando lhes apetece...

    Só podem mesmo é querer mamar, ou então anda tudo a ficar maluco!!!

    Ipiranga

     
  • 18 outubro, 2006 12:42, Blogger Jardelina

    Esse Ipiranga, além de ignorante, só pode ser mais um indigente mental.
    3 meses de férias! 22 horas de trabalho semanal! artigos e mais artigos para poderem faltar! Em que ano vc vive? Só se for em 1980. Meu amigo/a, isso já acabou há muito tempo.

     
  • 26 outubro, 2006 22:57, Anonymous Anónimo

    Ó Jardelina, ainda bem que acabou. Mas na altura dessas reformas (anos oitenta) vocês, os professores, também tentaram manter os vossos direitos, gritando que não se podiam perder direitos adquiridos. Tenha paciÊncia, o sacrificio chegou, e é para todos...e, claro, também prós professores, ou julgam-se acima da lei e dos outros.

    ASS: Pai e Funcionário Público (já agora Licenciado, como os professores)....

     
  • 26 outubro, 2006 23:03, Anonymous Anónimo

    Ainda bem que este Governo tem uma Ministra da Educação que não cede nem se acobarda perante os sindicatos dos professores, que diga-se, são a classe profissional com mais voz nos meios de comunicação social.
    Ñão faltam reportagens sempre a vitimizar o coitadinho do professor que vai ter de ir para uma escolinha a 300km de casa. A TVI adora quando chega a Setembro e saem as colocações dos professores.

    ESquecem-se que muitos outros portugueses têm de abandonar as suas terras e cidades, para procurar um emprego compativel com as suas habilitações (também muitos deles licenciados). Até os Juizes têm o seu movimento anual, e vão para onde o concurso ditar.

    Por isso aguentem-se, como se estão a tenatr aguentar (quase)todos os portugueses.

    ASS: Pai e Funcionário Público