sábado, junho 24, 2006
Sexo no feminino
“Em Agosto de 1998, houve uma notícia que correu mundo: afinal, o clítoris é muito maior do que se julgava, não é apenas o altinho traiçoeiro que tem de ser convenientemente estimulado para que as mulheres possam sentir um orgasmo. A descoberta tinha sido feita por uma equipa australiana, que revelou ao mundo nas páginas da revista científica "Journal of Urology" que o clítoris era pelo menos duas vezes maior do que os anatomistas supunham, e dez vezes maior do que as pessoas comuns pensavam.(...)

(...) Pois a próstata feminina é o local do mítico ponto G e a responsável pela (muitos consideram ainda mais mítica) ejaculação feminina. Então foi por causa da polémica em torno do ponto G, um esquivo local no interior da vagina que poderia ser fonte de grande prazer sexual, se adequadamente estimulado, que se descobriu que as mulheres têm próstata? "A expressão "ponto G" surgiu nos anos 50, quando foi publicado um livro com esse título. Mas a maior parte do trabalho sobre a próstata foi feita por um cientista eslovaco [Milan Zaviacic, da Universidade Comenius], que sugere a ligação com a ejaculação feminina. E, quando se fizeram análises ao ejaculado de mulheres, verificou-se que era um fluido equivalente ao produzido pela próstata dos homens. Portanto, o ponto G e a próstata feminina são a mesma coisa (...)” in Público, suplemento Mil Folhas, 24 de Junho

A História da V
Autor Catherine Blackledge
Editor Lua de Papel Tradução Maria Emília Ferros Moura 429 págs., 25 euros
 
Postado por Rui Goulart em 6/24/2006 |


4 Comments: