sábado, outubro 06, 2007
Não faltam treinadores de bancada e críticos de banco de jardim
Se o casal McCann estivesse envolvido no desaparecimento da filha mereceria um Óscar pela representação, diz hoje um especialista em Relações Públicas que os acompanhou nos primeiros dias

Ao diário britânico The Times, Alex Woolfall, enviado à Praia da Luz pela companhia que organizou a viagem da família a Portugal, diz que a aparente calma que o casal apresentava após o desaparecimento de Madeleine nada tem a ver com a perturbação e o medo que demonstrou nos bastidores.

«Se eles estivessem envolvidos ou de alguma forma fossem culpados, para mim, teriam que ganhar todos os globos de ouro e Óscares alguma vez atribuídos», disse, acrescentando estar convencido de que Kate e Gerry estão inocentes.

O britânico sublinha ao The Times que o estado de espírito do casal durante os primeiros dias oscilava entre a angústia e a determinação para fazer o que fosse necessário para ajudar a encontrar a menina, desaparecida há cerca de cinco meses.

Segundo Alex Woolfall, a seguir ao desaparecimento, a primeira suposição dos McCann ia no sentido de Madeleine ter-se perdido e sofrido um acidente, ou sido levada por um estranho bem intencionado, não tendo o casal equacionado logo a hipótese da menina ter sido levada por um pedófilo.

O especialista em Relações Públicas chegou a Portugal dia 5 de Maio, dois dias depois de Madeleine ter desaparecido e diz que o casal se comportava exactamente como ele esperava que alguém se comportasse numa situação daquelas.

«Eles não tinham dormido e queriam desesperadamente publicitar a cara da menina», contou, acrescentando que os McCann estavam ao mesmo tempo a tentar lidar emocionalmente com o que tinha acontecido e, por outro lado, encontrar uma forma de trazê-la de volta.

O britânico diz ter ficado surpreendido com a reacção dos observadores ingleses ao comportamento do casal, que criticaram o seu aparente controlo e frieza perante a situação, embora Woolfall diga que era exactamente o contrário.

«Eles não estavam de todo controlados. Quando estava com eles, oscilavam entre um estado de absoluta perturbação e a tentativa de fazer aquilo que achavam ser correcto perante o que tinha acontecido», sublinhou.

Kate e Gerry McCann regressaram no início de Agosto ao Reino Unido, depois de terem sido constituídos arguidos e sujeitos a Termo de Identidade e Residência, não tendo voltado a ser, depois disso, formalmente interrogados pelas autoridades


Edição do Times, on-line do Sol, Lusa, outros e também no AO

E afinal sempre vão receber o Óscar ou uma intimação para tirar a limpo esta estória de faca e alguidar?
 
Postado por Luísa Silva em 10/06/2007 |


1 Comments: