terça-feira, dezembro 05, 2006
Confesso que, e apesar de algum “carinho,”
…. começo a ficar um pouco confuso com algumas atitudes do “Cartel” SATA-TAP.
Basta recordar as declarações dos responsáveis da empresa açoriana aquando da criação da SATA Internacional: melhorar o serviço público e combater o monopólio da TAP. Tem sido assim?
 
Postado por Rui Goulart em 12/05/2006 |


9 Comments:


  • 05 dezembro, 2006 10:25, Anonymous Anónimo

    Caro amigo isso de que fala não é cartel é parceria.
    Com cartel ninguém mais voaria para os Açores.

     
  • 05 dezembro, 2006 16:29, Anonymous Ana Rita

    E quem mais é que voa para os Açores???

     
  • 05 dezembro, 2006 17:12, Anonymous joseaugustosoares

    Coitadas da TAP e da SATA se mais alguma companhia voasse para os Açores...
    Bastaria uma Portugália...e adeus sandes de massa de atum...atrasos constantes...cancelamentos de reservas...má vontade...passageiros tratados como "saloios"...pedantismo do pessoal de bordo...

     
  • 06 dezembro, 2006 22:03, Blogger PP

    Tou contigo nesta indignação.
    A SATA rendeu-se ao encantamento do monopólio e dos seus lucros....em prejuizo dos Açoreanos e com o dinheiro dos Açoreanos.

    O mais grave é que quem fomenta tamanho roubo aos Açoreanos é o prório Governo Regional, que quase exige ao Governo Central que a situação fique como está, ou seja longe de uma abertura de mercado, mesmo que a vôos charters.

    Uma vergonha....com o aval do "nosso" Governo.

     
  • 07 dezembro, 2006 10:21, Anonymous Anónimo

    Estes nossos amigos parece que nunca viajaram noutras companhias.
    A Sata em comparação com a generalidade das companhias presta um serviço muito bom.

     
  • 07 dezembro, 2006 12:01, Blogger jocaferro

    Como disse ??!!

    Só se a comparação for feita única e exclusivamente com as companhias regionais de Marrocos!

    PS: ou com os autocarros voadores dos EUA...

     
  • 07 dezembro, 2006 12:04, Blogger jocaferro

    Para quem tem dúvidas:

    http://www.ryanair.com/site/PT/

    Ryanair, já!

     
  • 11 dezembro, 2006 15:45, Anonymous visionário

    É preciso ter em atenção alguns pormenores. Essas companhias low-cost, não se metem em concursos públicos. Elas se vierem para cá é por sua conta, geralmente associadas com grupos hoteleiros, rent-a-car, associações de turismo locais, etc.

    Mesmo vindo para cá, se não comprar o bilhete com alguns meses de antecedência, ou, no mínimo, algumas semanas, irá pagar quase o mesmo que paga neste momento para ir a Lisboa. Não esquecer que nem um copo de água servem, é tudo a pagar.

    Para finalizar, nestas companhias, nem pensar em alterações nas passagens, de última hora, neste caso, mais vale a minha rica SATA Internacional. Se uma pessoa tem o azar de ter de alterar ida ou regresso, vai pagar couro e cabelo, até porque, a maioria desses bilhetes low cost não permitem flexibilidade.

    Para concluir, essas companhias serão bem vindas, mas não são nenhuma solução milagrosa para a nossa vida. A mim, fazem-me lembrar aqueles créditos por telefone/internet, é num instante, depois vai-se ler as letras miudinhas até doi a alma.

     
  • 13 dezembro, 2006 18:02, Blogger jocaferro

    Caro Visionário:
    Claro que qualquer companhia low-cost só viria alargar o leque da oferta e não concorrer a concursos públicos, e não ficar apenas a Ryanair como monopolista. Seria mais do mesmo.

    Existem, realmente, casos em que será necessário marcação com antecedência, mas na maioria das situações existem saldos para o próprio dia. Já tive pessoal conhecido a viajar deste modo e ficaram surpreendidos com o grau de eficácia.
    Uma das perguntas mais frequentes é:
    -Como é que ganham dinheiro?
    (...)
    -Excelente gestão de frota;
    -Rígido cumprimento de horários;
    (entre outras)

    Quanto às alterações de última hora (lugares limitados e marcação com antecedência) deverá estar a referir-se à tarifa de residente. Experimente com as tarifas mais acessíveis,i.e., PEX e turística. Para não falar da Jovem, Estudante e Promoções.

    Claro que a comida e bebida a bordo estraga tudo mas quase toda a gente consegue passar 2 horas sem comer ou beber algo. De qualquer forma a comida servida a bordo não serve de exemplo pelo que vale a bebida. :)

    Cumprimentos.