sexta-feira, outubro 20, 2006
Maldita
Maldita “motherboard”, ou como se diz em bom português, placa-mãe. Duas semanas sem computador e acesso à internet deixaram-me “doente”. Decididamente, já não posso sem viver eles. É preferível ficar sem televisão. Junte-se isto a uma situação profissional desagradável e temos umas semanas de melancolia.
Maldita privatização. O governo central prepara-se para alienar a participação do Estado na “holding” Redes Energéticas Nacionais (REN), proprietária e gestora das infra-estruturas de transporte de electricidade e gás. Ou muito me engano, ou estamos perante a repetição do erro que foi a venda da rede de cobre à Portugal Telecom (PT), com as consequências nefastas que se conhecem.
Bendita OPA, bendita concorrência. A OPA lançada pela Sonaecom sobre a PT e as mossas, embora pouco expressivas, causadas pelo Clix no Sapo e na Telepac estão a beneficiar os consumidores. No espaço de um ano, quem tinha o serviço 512/128 do Sapo e da Telepac passou para 4096/256 e com muitos mais “gigas” para descarregar. Como se não bastasse esta evolução, a partir de Novembro deveremos assistir a mais um upgrade: os clientes que tenham o serviço 8128/384 vão ser migrados para uma nova classe, a de 24000/512. Já aqueles que usam o serviço 4096/256 deverão beneficiar de um upgrade para os 8128/384. Nada disto é oficial, com excepção da criação da nova classe 24000/512, como se comprova neste documento da PT.
E nós por cá? Na paz dos anjos. E em paz queremos continuar. Só que não resisto a voltar ao título deste “post”. Maldita. É assim a política que temos nesta terra. O grupo parlamentar do PS na Assembleia da República chumbou ontem uma proposta de lei da Assembleia Legislativa dos Açores, que previa que o Estado voltasse a suportar os custos de expedição da imprensa especializada para as regiões autónomas. O texto do diploma chumbado era da autoria da bancada socialista no parlamento açoriano. Apesar disso, os três deputados do PS/Açores na Assembleia da República abstiveram-se! Eu sei que se votassem a favor o diploma seria igualmente chumbado. Mas os açorianos merecem uma explicação sobre o sentido de voto dos três deputados. E também são merecedores de uma reacção enérgica do governo regional. Ou César prefere continuar na “paz dos anjos” com Sócrates, apesar de ver cair uma das “bandeiras” que apresentou há dez anos? Maldita política.
 
Postado por Rui Lucas em 10/20/2006 |


2 Comments:


  • 20 outubro, 2006 08:19, Anonymous Rui G

    Bom regresso sócio, estava a sentir uma solidão terrível! ehehe!!!

     
  • 20 outubro, 2006 09:11, Blogger jocaferro

    Finalmente.
    E com carradas de razão.
    O comportamento dos deputados do PS regional é inadmissível. Está completamente fora de questão se chumbaria ou não, caso tivessem votado contra, mas sim um sinal de que o "monopólio" PS não está assim tão coeso quanto parece em algumas questões.

    Cumprimentos.