sábado, setembro 30, 2006
Posto de Escuta: Modern Times
O último registo de Bob Dylan, tal como os críticos referem, é um álbum que faz a diferença em relação aos últimos 30 anos . O “Mestre” mantém as suas raízes (Folk/Country) mas dá um toque de modernidade. Aviso, desde já, que não sou um fã do senhor Dylan, mas reconheço o seu peso histórico e, em alguns casos, qualitativos no mundo da literatura e da música.
Nunca entendi o perfil psicológico de BoB, contudo, penso que ele também nunca o quis mostrar. Nem mesmo vendo o excelente No Direction Home - filme/documentário de Martin Scorsese - consegui perceber a sua complexa e misteriosa personalidade. Não é fácil.
A verdade é que Bob Dylan, com uma voz pouco fugaz, atingiu, para alguns, um estatuto que roça a fronteira do divino. Lamento, no entanto, que as suas actuações ao vivo sejam, em muitos casos, uma total indiferença para com o público. Basta lembrar o caso de Portugal.O importante é que estou a curtir, nesta altura, as palavras do senhor Dylan. Alguns críticos falam no melhor álbum de sempre de Dylan. Será? Digo apenas que, dentro do universo de Bob Dylan, é muito bom!
 
Postado por Rui Goulart em 9/30/2006 |


7 Comments:


  • 30 setembro, 2006 20:36, Blogger jocaferro

    Como já escrevi noutro blog:
    -este gajo irrita-me!
    Aquando do último disco afirmei que seria o último. Também afirmei que era, para mim, um dos melhores trabalhos de sempre.
    Lá tinha, o embirrento Zimmerman, de me estragar as minhas previsões...
    Espero que continue a estragar-me as previsões por muitos anos. Já agora que seja desta forma.

    PS: Não "consegui" apanhar uma promoção que vi a passar em rodapé na TV. Vi que eram cerca de 800 músicas de Dylan pela quantia de 250€ se não estou enganado. Assim, vou ter que aquecer os fios de cobre da PT ao rubro. É só sacar...
    Ou será bombar?
    @braço

     
  • 01 outubro, 2006 01:16, Blogger João Nuno

    Caro Rui Goulart,

    ...reiterando um post do : Ilhas tenho andando a ouvir diariamente este Modern Times. FABULOSO E DE ANTOLOGIA (e quem disser o contrário só pode ser um oligifrénico musical~)

     
  • 01 outubro, 2006 13:30, Anonymous Rui Goulart

    Caro JNAS,

    oligifrénico musical? eheheh!!!! Gostei!!! Confesso que adquiri o CD recentemente. As criticas têm sido brilhantes, mas ás vezes tenho receio dos críticos. Neste caso, são justas. Li também no :Ilhas (Faz parte do meu roteiro). É bom ver-te por aqui!

    Caro Jocaferro (uma presença sempre interessante)

    É difícil parar de gostar de arte musical:), porque os verdadeiros génios são figuras que nos conseguem surpreender a qualquer momento. Oscilam, mas aparecem. Os meus fios da PT estão a ferver, penso até que estão numa fase de total incandescência.


    Abraço aos dois

     
  • 01 outubro, 2006 22:57, Anonymous Anónimo

    Caro Rui,

    ...confesso que tomei de empréstimo o Bob Dylan a uma colega sua !!! Agrada-me que aprecie a minha companhia ( coisa rara no mundo de empatias blogoesféricas ) mas, na verdade, é com agrado que visito o vosso blog diariamente. Tenho bastante apreço pelo profissionalismo dos editores deste blog e julgo que, apesar da tua juventude, és dos melhores profissionais de Televisão e Rádio cá do burgo (...o que não impede de por vezes caires na tentação de seres, de vezes em quando, opinativo ). No resto já percebi que temos em comum o gosto pelo Jazz e pelo tinto ( é verdade já nos cruzamos na Garrafeira da JH Ornelas )...pode ser que um dia possamos trocar cromos.
    JNAS

     
  • 02 outubro, 2006 08:36, Anonymous Rui Goulart

    Caro JNAS,

    Peço desculpa pela falta de “cumprimento” na Garrafeira “A vinha”, mas penso que não estou a associar o nome ao rosto certo. Desculpa! Quando me vir, fale comigo. Agradecia.
    É verdade… sou um apreciador da cultura do vinho, apesar do meu amadorismo nesse complexo ramo. Todavia, tenho feito um esforço para melhorar os meus conhecimentos. Pelo menos já conheço as regiões, as castas, os copos adequados e a ter alguns referencias. Há já alguns anos que compro o anuário do João Paulo Martins e do João Afonso. A propósito, aconselho, vivamente, o filme/documentário “Mondovino” (já disponível em DVD, na Fnac). Obrigatório para os amantes do vinho. Uma excelente visão romântica.
    Sobre o Jazz, é uma paixão, algo recente, mas profunda, contudo, existem variantes que ficam fora das milhas escolhas.
    Obrigado pelos elogios e pela crítica. Gosto da frontalidade, especialmente com nome e rosto!
    Sou opinativo no Blog? na Rádio? Na TV? Confesso que não o faço deliberadamente ( excepto no blog, aí fala o cidadão), mas pode acontecer. Aliás, é algo que contesto e que vai contra á minha visão do jornalismo.

    PS- Podemos sempre combinar um café…seria um prazer.

    Abraço amigo

     
  • 02 outubro, 2006 12:11, Blogger jocaferro

    Opinativo?
    Quem?
    O Rui Goulart?

    Não acredito!

    Até conseguiu "noticiar" o encontro Carlos César versus Berta Cabral sem se rir...

    Eu não conseguia depois da opinião aqui "postada".

    ;)))

    Cumprimentos para os dois e um gole de tinto a acompanhar...

    PS: obrigado pelo interessante...
    ;)

     
  • 04 outubro, 2006 23:53, Anonymous Anónimo

    Se o ridiculo matasse estaríamos perante uma tragédia social....

    Pedro Medeiros Silva