sábado, setembro 09, 2006
olhá bola manel
jimmy floyd hasselbank (lembram-se dele no tempo do campomaiorense?) marcou hoje um golo ao chelsea, onde jogou vários anos. O jogo foi no stamford bridge. Hasselbank empatou o jogo, recusou-se a comemorar e foi aplaudido por boa parte dos adeptos adversários. não se ouviu um assobio, um insulto. uns ficaram calados, outros aplaudiram o silêncio do jogador.
em portugal, os árbitros são "nomeados" depois de intensas negociações diplomáticas, consideradas "perfeitamente normais" e um "hábito comum". os dirigentes utilizam uma linguagem próxima da dos carroceiros (sem ofensas... para os carroceiros), movem-se com absoluta impunidade e o serviço público de televisão consome horas e horas (que depois serão estatisticamente tratadas como "informação") de um debate inútil sobre uma questão que se resume a uma única pergunta: portugal é um estado onde qualquer um deve ter o direito de recurso aos tribunais ou devemos permitir cedências baseadas em chatagens. do "caso mateus" a única coisa que devemos esperar (ou será desejar?) é que chegue ao tribunal europeu.
lembro-me de ver num blogue (que não recordo o nome) um concurso para eleger o maior português de todos os tempos. eu voto no infante d. henrique. o primeiro a perceber que precisava de construir barcos para sair daqui.
 
Postado por nuno mendes em 9/09/2006 |


0 Comments: