sábado, novembro 19, 2005
congresso
“Se for aplicado o que está a ser reflectido neste congresso, estou certo que, sejam quais forem as circunstâncias, o PS/Açores será o vencedor nas próximas legislativas regionais”. Até ao momento, do congresso do PS pouco mais há a destacar do que esta frase de Carlos César, proferida esta manhã durante a apresentação da única moção global de estratégia em “discussão”.
Como salienta o Guilherme (www.cháverde.blogspot.com), algo vai errado quando, ao discurso crítico de Carlos César, as respostas são um interminável rol de pedidos ao líder para que continue. Enquanto César se preocupou por retirar o assunto da agenda do congresso, a “mobilidade espontânea” do aparelho (aquele que não existe) optou por colocar o tema na ordem de trabalhos. Ignorando que o PS tem, nos próximos dois anos, uma oportunidade de ouro para transformar o sistema num movimento de um só partido. Pode não ser o melhor para a Democracia, mas a verdade é que a janela de oportunidade existe. E mais se vai tornar visível se o PSD, como tudo indica, realizar mais um congresso baseado no universo ficcional em eu se tem movimentado.
Se alguma coisa marca este congresso socialista, ela é sem dúvida a preparação que Carlos César quer dar ao PS para que possa concorrer a eleições mesmo que o criador se afaste. O discurso do presidente socialista serviu de resposta a todos os que subiram ao palco do teatro Faialense para pedir a sua continuidade. E Carlos César, se é verdade que ainda não disse que fica, deixou de afirmar a sua teoria sobre a longevidade das funções presidenciais.
Não é difícil perceber que a situação no PSD/Açores permite um certo retemperar de forças. Os social democratas, no funil em que se encontram, são pasto para as ambições eleitorais dos socialistas açorianos, transformados nesta época de crise em “porto seguro” da vida colectiva regional. A falta de oposição (e a previsão de que ela ande ausente durante os próximos tempos) tornam possível a Carlos César voltar a sonhar com um PS liderado por outro. Mesmo que o PS não queira acreditar na possibilidade.
 
Postado por nuno mendes em 11/19/2005 |


2 Comments:


  • 19 novembro, 2005 20:12, Blogger Vulcam

    Ó Nuno o teu desespero à direita já te leva a imaginar o partido unico socialista???
    Esse chamava-se nacional socialista.
    Vá de Retro....

     
  • 21 novembro, 2005 10:56, Blogger K2ou3

    Penso que tambem devemos ter um pouco de calma e esperança.
    César tambem deve ter as suas ambições de projecção Nacional, e, quiçá, Internacional.
    Alem de que o poder e os "amigos" cansam e tambem se cansam.